Projeto de Paulo Magalhães ajuda na recuperação mais rápida de atletas

Deputado Paulo Magalhães - PSD-BA (Foto: Heleno Rezende)

Projeto de Lei 3783/12, de autoria do deputado Paulo Magalhães (PSD-BA), cria o Programa Nacional de Apoio à Saúde do Atleta (PNASA). O objetivo da proposta é o de captar e canalizar recursos para o desenvolvimento de pesquisas e de técnicas de utilização das células-tronco na reabilitação de lesões ósseas ou musculares dos atletas brasileiros.

A proposta tramita na Comissão de Seguridade Social e Família, que designou o deputado Onofre Santo Agostini (PSD-SC) como relator.

De acordo com o PL, o Programa será administrado por ações integradas dos ministérios da Saúde e do Esporte, cabendo ao Executivo regulamentar os respectivos procedimentos para a sua efetividade.

“Esta proposta objetiva a promoção sustentável do desenvolvimento da técnica de tratamento com células-tronco como nova modalidade de recuperação de lesões musculares e ósseas dos atletas brasileiros”, comentou.

Paulo Magalhães cita os exemplos do Hospital de Clínicas da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e o Departamento de Cirurgia Geral e Especializada da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Fortaleza (UFF), que desenvolveram esse mesmo método no tratamento de tumores, falhas de próteses e fraturas mal consolidadas em ossos, tíbias, perônios e meniscos.

“É comum, na maioria das modalidades esportivas, o contato e o esforço dos atletas. Deles são exigidas a musculatura e os ossos. Os métodos tradicionais de intervenção médica importam, não raro, numa recuperação de até um ano. Mas esta situação pode mudar se forem desenvolvidas as devidas pesquisas e técnicas”, disse o parlamentar.

O método com a utilização de células-tronco na recuperação de atletas foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa, testado recentemente e atingiu resultados satisfatórios entre 93% a 100% dos casos.

Constatou-se que a recuperação da lesão de um atleta seria muita mais rápida pelo uso das células-tronco do que a recuperação decorrente de tratamentos tradicionais que, normalmente, estende-se por até um ano.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *