TCU adia votação de processo sobre ressarcimento de R$ 7 bilhões para consumidores de energia

O Tribunal de Contas da União adiou nesta quarta-feira (8), o julgamento do processo que prevê o ressarcimento de R$ 7 bilhões cobrados indevidamente nas contas de luz, depois que o Ministro Raimundo Carreiro pediu vistas. O Ministro relator, Valmir Campelo, votou favorável a devolução dos valores cobrados a mais aos consumidores devido a um erro na metodologia de cálculo de reajustes entre 2002 e 2009.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) se posicionou contrária ao ressarcimento dos consumidores, alegando que não poderia retroagir a uma regra que é legal, a aplicação fiel dos contratos.

O deputado federal Carlos Souza (PSD/AM) esteve presente na sessão, e afirmou discordar do posicionamento da Agência, ressaltando que ela foi omissa em relação ao seu papel de agência reguladora.

“Houve um erro e ele tem que ser reparado, o relator acertou ao votar a favor dos consumidores brasileiros, não entendo a posição da Aneel, ela está agindo de forma contrária a sua função, além de se contradizer, pois já tinha admitido o erro e confirmado que iria repara-lo”, declarou.

De acordo com os meios de comunicação do estado do Amazonas, o prejuízo só no estado atingiu cerca de 400 mil usuários.

Mirelly Maria
Assessora de imprensa do dep. Carlos Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *