Marx Beltrão faz apelo ao governo por reaquecimento da área do turismo

Marx Beltrão sai em defesa do setor do turismo; (Foto: Cláudio Araújo)

A pandemia provocada pelo coronavírus fez com que mais de 80% dos hotéis, resorts e parques de atrações turísticas fossem fechados no país. O setor, responsável por 8% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil acumula enormes prejuízos e vê o desemprego crescer diante da situação. Uma carta assinada pelo deputado Marx Beltrão (AL) e entidades ligadas ao turismo foi entregue ao governo federal pedindo que a paralisação não seja por completa.

“É um apelo que representa mais de um milhão de empregos e 4 milhões de pessoas impactadas com a paralisação geral das atividades. Todo o setor é categórico ao afirmar no texto que nenhuma das MPs enviadas até agora pelo governo, sobretudo as trabalhistas, representam a mínima solução. E apelam conjuntamente para que o governo olhe para os exemplos do mundo como França, Itália, Argentina, Estados Unidos, e salve de fato os empregos dos brasileiros, com um plano a altura da necessidade”, destacou Marx.

Para o deputado, a área do turismo é uma das mais difíceis de retomar mesmo após o país sair da crise. “Turismo não se estoca para usar depois. São destinos inteiros hoje à beira da falência e do desemprego”, completou.

Na carta apresentada pelas entidades também é reforçado o pedido para que as companhias aéreas possam voltar ao trabalho normalmente. Segundo o documento, as empresas do ramo não suportariam os impactos financeiros e viriam à falência – o que suprimiria mais de R$ 31,3 bilhões girando na economia brasileira.

Assinam a carta entregue ao governo federal o deputado Marx Beltrão, a Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil (ADIBRA); a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH); a Brazilian Luxury Travel Association (BLTA); a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA); o Fórum dos Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB); a Associação Brasileira de Resorts (Resorts Brasil); o Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (SINDEPAT); e a União Nacional de CVBx e Entidades de Destinos (UNEDESTINOS).

Renan Bortoletto

Assuntos:

1 Comentário

  1. Maria Teresa Etrusco Vieira

    Precisamos mesmo de soluções imediatas para o setor pois não só empresas vão falir mas destinos também levando ao caos à população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *