Junji Abe critica prejuízos causados por greve dos caminhoneiros

Deputado Junji Abe - PSD/SP (Foto: Heleno Rezende)

Em discurso realizado na tarde dessa quarta-feira (01) no Congresso, o deputado Junji Abe (PSD-SP) ressaltou os enormes prejuízos e transtornos que a greve dos caminhoneiros, encerrada na noite de ontem, trouxe para o país nas mais diversas áreas.

Atual presidente da Frente Parlamentar Mista do Segmento de Hortifrutigranjeiros, o parlamentar lembrou que os problemas dessa paralisação refletiram não somente na área rodoviária, mas também em outros setores, como a distribuição de produtos agrícolas, principalmente para os pequenos produtores. “Independente de estarmos falando de produtos como verduras, legumes, frutas, flores, plantas ornamentais e até o pescado, nós tivemos no território brasileiro uma paralisação total, levando prejuízos incalculáveis pelo desabastecimento, como a corda sempre arrebenta do lado mais fraco, principalmente aos produtores”.

Mais cedo, com as presenças dos deputados Moreira Mendes (PSD-RO) e Eduardo Sciarra (PSD-PR), a Frente Parlamentar Mista chefiada por Junji Abe se reuniu com outras frentes no intuito de futuramente convidar as representações das maiores transportadoras, entidades classistas que envolvam os transportadores anônimos e os caminhoneiros autônomos para que sejam discutidos novos critérios para a lei nº 12.619 – que estabelece regras para o transporte rodoviário de passageiros e cargas.

“Não existem nas rodovias, sejam federais, estaduais e, principalmente municipais, condições de fazer com que os caminhoneiros possam descansar após 11 horas de trabalho; não existem locais propícios inclusive para descanso e principalmente para segurança pública desses caminhoneiros. Daí a razão de eu trazer este meu protesto veemente, para que possamos mudar para melhor essa regra que diz respeito às leis trabalhistas, enquanto empregados e empregadores e principalmente envolvendo os transportadores que têm uma atividade autônoma”.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *