Audiências públicas de Eleuses discutirão cadastro de medula óssea e alcoolismo

Deputado Eleuses Paiva (PSD-SP) - Foto: Heleno Rezende

Dois requerimentos do deputado Eleuses Paiva (PSD-SP) foram aprovados na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados. O primeiro pede a realização de audiência pública para debater o cadastramento de candidatos a doadores voluntários de medula óssea e outro tem como objetivo discutir o problema do alcoolismo juvenil.

Segundo Eleuses, o cadastramento de voluntários para doação de medula óssea é feito rotineiramente no país, porém em baixa quantidade. Para aumentar o número de doadores, ONG’s organizam, em parceria com hemocentros, ações de cadastramento em massa.  Medida que aumentou consideravelmente o Registro dos Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME), que é um banco de dados existente no Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Porém o INCA determinou, no início de 2012, a suspensão da autorização para órgãos externos realizarem este cadastramento, ficando limitados apenas nas dependências dos próprios hemocentros.

“Essa medida, a nosso ver, representa o mesmo dano causado aos doentes, caso amanhã sejam suspensas as ações de doação de sangue. Julgo necessária a realização da discussão para sanar e esclarecer a situação”, afirmou o parlamentar paulista lembrando que, no Brasil, 1300 pessoas portadoras de câncer têm como única chance de vida o transplante de medula óssea.

Para discutir o cadastramento de doadores de medula óssea, o parlamentar paulista convocou o Dr. José Osmar Medina Pestana, presidente da Associação Brasileira de Transporte de Órgãos (ABTO), o Dr. Helvécio Magalhães Júnior, Secretário de Atenção à Saúde (SAS) e o Dr. Luiz Antônio Santini, diretor do Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Outro requerimento aprovado de Eleuses Paiva visa discutir problemas de alcoolismo cada vez mais presente na população jovem brasileira.

Para a audiência o parlamentar convidou, entre outros, a Dra. Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Associação de Defesa do Consumidor (PROTESTE) e o Dr. Joaquim Ferreira de Melo Neto, presidente da Associação Brasileira de Estudo do Álcool e Outras Drogas (ABEAD).

“O consumo de álcool por adolescentes é cada vez mais comum, gerando um problema para toda a sociedade. É nesta faixa etária que a dependência pode se iniciar”, ressalta Eleuses.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *