Artigos

O sufocamento das médias empresas


Autor(es): Guilherme Campos Correio Braziliense – 15/11/2012 Deputado federal por São Paulo e líder do PSD na Câmara dos Deputados, falar em erradicação de miséria, geração de emprego, desoneração e, ao mesmo tempo, manter situações que sufocam as médias empresas brasileiras é algo extremamente contraditório. Enquanto importantes setores da economia têm recebido incentivos, as médias empresas terão que arcar, somente em 2013, com um custo adicional de R$ 1,7 bilhão em impostos. Isso por causa de uma legislação extremamente defasada. O cenário está ligado ao chamado lucro presumido, que simplifica a tributação dessas empresas. A faixa de faturamento para que elas possam optar pelo benefício está congelada há uma década... Leia mais


Em | Nenhum comentário

Caiu a ficha


Por JOSÉ CARLOS ARAÚJO* Ao ler uma entrevista do governador da Bahia, Jaques Wagner, no Correio Brasiliense (Wagner projeta Eduardo para 2018), há alguns dias atrás, deparei-me com um conceito, um pensamento que, se não me surpreendeu visto que dele, mesmo sem conhecimento prévio, já compartilhava, suscitou algumas observações e me obrigou a trazer o processo eleitoral de 2018 traçado por Wagner para um cenário mais próximo: 2014, na Bahia. Wagner dizia: “A candidatura de Dilma à reeleição é natural, porque ela tem direito a concorrer a mais quatro anos. Mas, para 2018, o PT terá que refletir. Será que está na hora de desfazer a tese de que nunca... Leia mais


Em | Nenhum comentário

Código Florestal: vitória do debate democrático


Por Eduardo Sciarra* O novo Código Florestal, recentemente sancionado com vetos pela presidente Dilma, cria finalmente uma legislação específica para normatizar as relações da produção rural com o meio ambiente. Ele substitui a ultrapassada legislação editada em 1965 e que, ao longo do tempo, tornou-se uma “colcha de retalhos” costurada sem nenhum debate público. Eram dezenas de medidas provisórias, decretos, portarias e regulamentos dos mais diversos órgãos de governo. Apesar dos vetos da presidente ao texto aprovado pelo Congresso Nacional, a nova legislação ambiental traz grandes avanços para o país. A principal é, sem dúvida, a segurança jurídica que faltava aos produtores rurais. Sinto-me honrado por ter participado ativamente de... Leia mais


Em | Nenhum comentário

Bom começo


Confrontada, de um lado, com a dura realidade da insuficiente infraestrutura do país e suas perversas consequências sobre a competitividade da economia, e, do outro, conhecedora da carência de recursos financeiros do Estado e da falta de condições operacionais da sua burocracia, a presidente Dilma, apesar dos arraigados dogmas estatizantes de seu partido, optou pelo melhor: delegar à iniciativa privada a construção e a manutenção de parte da malha rodoviária e ferroviária do país. O que menos importa é o nome do programa: concessão, privatização, parcerias ou delegação. O essencial é que os contratos a serem assinados encontrem o difícil ponto de equilíbrio entre a defesa do consumidor; a segurança... Leia mais


Em | Nenhum comentário

Terrorismo da criminalidade


No primeiro semestre deste ano 40 policiais foram mortos em São Paulo fora de seu turno regular de trabalho na corporação. No ano passado inteiro foram 47 assassinatos de policiais no estado em horários de folga ou durante os “bicos”. É uma situação que deixam alarmados não só os militares e seus quartéis como a sociedade, que vê as pessoas responsáveis pela nossa segurança em uma situação de tamanha fragilidade. Afinal, por que isso está acontecendo? A polícia está com uma presença mais ostensiva no combate ao crime e essas quadrilhas tentam, com esses atos, esfriar as ações de repressão? Ou o crime saiu totalmente de controle, a polícia não... Leia mais


Em | Nenhum comentário

Infraestrutura da inovação


Na era atual, a inovação é constitutiva de nossa maneira de viver. Nenhum de nós se imagina, dentro de alguns anos, vivendo no mesmo ambiente tec­nológico. Nessa conjuntura, as empresas passaram a depender de suas habili­dades para coordenar esforços seus e de terceiros para levar com rapidez as novidades aos mercados. A esse processo, a um só tempo colaborativo e for­temente competitivo, se denomina inovação aberta. E para combinar esses conhecimentos e atributos numa economia de mercado precisamos firmar contratos envolvendo diferentes modalidades de propriedade intelectual. Seja na constituição de marcas, nos direitos autorais sobre publicações, ou por meio cia manutenção de segredos industriais. O ambiente de negócios para a... Leia mais


Em | Nenhum comentário

Deixem o Brasil produzir e preservar


O Brasil está prestes a ter uma das leis mais importantes para o futuro do seu desenvolvimento socioeconômico. O novo texto do Código Florestal é resultado de anos e anos de trabalho no Congresso e preenche lacunas na legislação, com regras mais claras para o uso dos recursos naturais e garantias para a produção e a preservação ambiental. O produtor rural tem sentido no dia a dia de sua labuta o gosto amargo da insegurança jurídica que ameaça a agropecuária, uma das principais atividades econômicas do país. A proposta dessa nova legislação ambiental reflete os intensos debates mantidos nas comissões da Câmara e do Senado em mais de 60 audiências... Leia mais


Em | Nenhum comentário

Redução do spread bancário, crédito para o desenvolvimento


O governo brasileiro sinaliza que está disposto a modificar os atuais custos expressivos do crédito no Brasil. Chegou, enfim, a vez de reformular o spread bancário. No conhecido economês, linguagem do meio econômico e financeiro, que define a diferença percentual expressiva entre os que os bancos pagam para captar dinheiro e os juros que as instituições cobram nos empréstimos concedidos. O Brasil registra um dos maiores spreads bancário do mundo. O preço que se paga é alto. Os custos elevados da concessão do crédito são um dos entraves para financiar o setor produtivo, a promoção do desenvolvimento e a geração de emprego e renda. Contamos com entraves expressivos para alavancar... Leia mais


Em | Nenhum comentário

A renúncia do IPI e da CIDE pelo Governo Federal tem afetado as contas dos Estados e Municípios


A crise econômica internacional continua a produzir efeitos negativos não só nos países que a originaram, mas de ordem global.  O Brasil também foi afetado por esse cenário adverso, embora em menor escala, dada a situação de estabilidade e equilíbrio das nossas contas, a confortável posição das reservas internacionais e  a capacidade de reação do mercado interno. Para fazer frente a esse quadro adverso, o Governo vem usando os principais instrumentos de política economia que estão a sua disposição, principalmente nos campos monetário e fiscal. No campo fiscal, é de se ressaltar que o Governo vem adotando medidas de estímulo ao crescimento da economia, utilizando-se fundamentalmente de mecanismo que visam... Leia mais


Em | Nenhum comentário

Saída para reduzir burocracia


Guilherme Campos Destravar investimentos públicos como forma de reativar a economia é, atualmente, a principal meta do governo. Para isso, o BNDES já criou, por exemplo, linha de crédito, com redução dos juros e concedeu uma nova linha de crédito para os Estados. Outra investida para chegar ao seu objetivo é a flexibilização da Lei 8.666, que trata das licitações. A ideia é que as obras saiam mais rapidamente do papel, sem passarem por todo o trâmite burocrático que a legislação exige. A flexibilização, porém, acontece de maneira polêmica, por meio da ampliação do sistema de licitações já usado nas obras para a Copa do Mundo de 2014 e as... Leia mais


Em | Nenhum comentário