Vermelho: governo precisa reeditar refis e reduzir impostos

Deputado federal Vermelho; (Foto: Cláudio Araújo)

O deputado Vermelho (PR) defende ações efetivas para proteger a população mais vulnerável e manter os empregos. Segundo ele, as medidas adotadas até agora são insuficientes para enfrentar a crise que se avizinha em função da pandemia do coronavírus. Argumenta que o gerador de emprego não vai suportar essa crise econômica e isso poderá gerar demissões em massa.

“É necessário fazer a redução de encargos e impostos sobre a folha de pagamento e a suspensão temporária de outros tributos. Se prosseguirem com essa enorme carga tributária, o empresário vai quebrar, seja ele pequeno, médio ou grande. A situação já era difícil, imaginem agora que o movimento sofreu uma queda muito grande”, disse o parlamentar.

O deputado também defende a adoção imediata de um programa de refinanciamento das dívidas junto ao governo e instituições bancárias públicas. “O Refis precisa ser agilizado porque ele representa uma sobrevida para a empresa que tem impostos a pagar.”

O pessedista disse ainda que é preciso abrir novas frentes econômicas e linhas de crédito para os mais prejudicados. “Peço que sejam viabilizadas linhas de crédito com zero por cento de juros para que os empresários possam prosseguir seus negócios e manter o Brasil andando. Uma empresa fechada não gera receita, não gera desenvolvimento e não mantém os empregos que tanto o país precisa”, sintetiza.

Segundo o parlamentar, essa linha de crédito servirá para a sobrevivência durante a crise e também para a recuperação das empresas após o fim da pandemia. “Também solicitei medidas na área de assistência social para que os desempregados e pessoas de baixa renda sejam atendidos com cestas básicas ou ampliação do Bolsa Família. Temos de encontrar uma saída também para o exército de trabalhadores da economia informal que, de uma hora para outra, ficaram sem renda para sustentar suas famílias.”

Escrito por Adelino de Souza

Assuntos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *