Setor hoteleiro se une contra o mosquito da dengue

Deputado Herculano Passos (SP) - Foto: Assessoria

Deputado Herculano Passos (SP) – Foto: Assessoria

O presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo, deputado Herculano Passos (SP), participou na quarta-feira (23), em Brasília, de evento promovido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Na oportunidade foi assinado um convênio entre o Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur), da CNC, e as principais entidades da hotelaria no País para o combate ao aedes aegypti. O mosquito é transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika.

“Esse convênio vai incentivar o engajamento do setor hoteleiro nas práticas de contenção do Aedes aegypti. A campanha nasceu de uma iniciativa de sucesso do Departamento Nacional do Sesc, já implementada em mais de mil unidades do Sesc e do Senac, em todo o País”, afirmou o presidente do Cetur, Alexandre Sampaio

Sob o mote “não deixe o mosquito bater ponto aqui”, a campanha será promovida pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH Nacional), pelo Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB), pela Associação Brasileira de Resorts (ABR) e pela Federação Nacional de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (FNHRBS) e pretende alcançar toda a rede hoteleira nacional.

No encontro também foi debatida a criação de Áreas Especiais de Interesse Turístico (AEIT) com regimes especiais para tributação, comércio, crédito, investimentos e simplificação das exigências administrativas. A proposta foi apresentada pelo presidente da Embratur, Vinicius Lummertz. O objetivo, segundo ele, é gerar possibilidades de crescimento para o turismo após a série de grandes eventos como a Copa, o Rock in Rio e as Olimpíadas. A ideia é criar espaços territoriais delimitados, com condições de ocupação definidas pelo governo que possam atrair investimentos e novos negócios. Uma proposta de Medida Provisória para a criação dessas áreas deve ser encaminhada pelo Ministério do Turismo.

“A ideia prevê complexos turísticos que reúnam grande número de atrativos, que sejam considerados zonas de importação, com regimes especiais de tributação, simplificação de processos burocráticos e incentivos já determinados pelo poder público”, explicou Lummertz.

No evento o deputado Herculano também apresentou um balanço dos trabalhos da Frente do Turismo no último ano, com destaque para a legalização dos cassinos no Brasil e o fim da exigibilidade do visto para turistas estrangeiros entrarem no País.

Da assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *