Marco Bertaiolli defende redução da carga tributária para pequenas empresas

Durante a votação do Projeto de Lei 2337/21, que estabelece mudanças no Imposto de Renda, o deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP) articulou para que o relator da matéria reduzisse a carga tributária das micro e pequenas empresas que faturam até R$ 4,8 milhões anuais. A sugestão foi acatada no Plenário da Câmara e segue para o Senado Federal.

“Minha atuação e articulação têm o objetivo de conceder benefícios tributários para os pequenos empreendedores, aqueles que são donos de mercearias, lojas de calçados, bazares e estão sem saber como reabrir a porta de seus negócios em meio a esta crise”, ressalta Bertaiolli, que, desde o início de seu mandato como parlamentar, defende as micro e pequenas empresas no Congresso Nacional.

O parlamentar explica que o normativo iguala a realidade tributária das MPEs do lucro presumido com a das micro e pequenas empresas que estão no Simples Nacional. “Ambas ficarão de fora da taxação de lucros e dividendos”, acrescenta.

Justiça fiscal
O deputado afirma que a votação do projeto é uma oportunidade de atender aos anseios de toda a população e oferecer a tão esperada justiça fiscal ao setor produtivo do Brasil.
“Diminuir a carga tributária dos pequenos empreendimentos é possibilitar que esse capital seja revertido em postos de trabalho”, complementa.

Durante a votação, o relator da proposta, deputado Celso Sabino (PSDB-PA), parabenizou a atuação de Bertaiolli em defesa dos pequenos empreendedores.

Deputado Marco Bertaiolli (SP). Foto: Cláudio Araújo

“O deputado Bertaiolli fez grandes sugestões ao projeto. Temos hoje a aprovação do Sebrae e de várias organizações que defendem as micro e pequenas empresas, que vieram graças à contribuição e apoio do deputado, que fez uma brilhante defesa dos pequenos empreendedores e pequenas empresas do Brasil”, enalteceu.

Contribuição
De acordo com projeto, haverá um desconto significativo no Imposto de Renda da Pessoa Jurídica, que passará de 15% para 8%, e a tributação sobre lucros e dividendos cairá de 20% para 15%.

Além de reduzir tributos para empresas, também terão reajustes na faixa de isenção das pessoas físicas. De acordo com a proposta encaminhada pelo governo, a isenção, que hoje é de partir de R$ 1.903,98, passará para R$ 2.500 mensais.

Com o aperfeiçoamento, estima-se que 50% dos atuais declarantes deixarão de pagar Imposto de Renda, o que corresponde a 5,6 milhões de contribuintes. Atualmente, são 10,7 milhões de isentos, de um total de 31 milhões.

Assessoria de Imprensa do deputado Marco Bertaiolli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *