G1 – Globo | Pernambuco: Dois secretários pedem exoneração para votar a favor do impeachment

Solicitações de Danilo Cabral e André de Paula saíram no Diário Oficial.

Outros dois ainda estão em meio a articulações para definir a situação.

Os secretários de Planejamento e Gestão, Danilo Cabral (PSB), e das Cidades, André de Paula (PSD), foram oficialmente exonerados nesta quinta-feira (14) e reassumirão seus cargos de deputado na Câmara Federal. A decisão foi publicada no Diario Oficial do Estado (DO) e faz parte das articulações políticas que envolvem o processo de votação do impeachment da Presidente Dilma Rousseff (PT) na Câmara dos Deputados, em Brasília, no próximo domingo (17). Os dois estavam licenciados desde o início do governo Paulo Câmara (PSB), no ano passado.

Danilo Cabral e André de Paula já declararam publicamente que serão favoráveis ao impeachment da presidente. Pela ordem, deixam os cargos os suplentes Raul Jungmann (PPS) e Augusto Coutinho (SD), que também votariam pelo impedimento de Dilma. André já havia, inclusive, publicado nota oficial afirmando que retornaria à Câmara.

Possível afastamento de Dilma é analisado

Os outros dois secretários de estado que podem deixar o governo de Pernambuco e incrementar a votação favorável à saída da chefe do Executivo federal são o de Turismo, Felipe Carreras (PSB), e de Transportes, Sebastião Oliveira (PP).

Felipe está em Brasília desde a noite de quarta-feira (13) para conversar com o suplente imediato, Fernando Monteiro (PP), que até então não tinha uma posição oficial sobre o tema. “Vou ter uma reunião com o deputado. Caso o voto dele seja igual ao meu (pró-impeachment), não pecisarei reassumir o mandato“, disse Carreiras, por telefone, ao G1.

Como alguns setores do PP de Fernando Monteiro ainda dão apoio a Dilma, este deverá ser o único detalhe a ser resolvido para que Pernambuco dê quatro votos favoráveis ao processo de impeachment. O último licenciado, Sebastião Oliveira (PR), também favorável à saída da presidente, está na capital federal e também poderá deixar o cargo.

No entanto, talvez nem seja preciso. O último suplente, Carlos Eduardo Cadoca (sem partido), publicou nota oficial na quarta-feira (13), afirmando que também será favorável ao impeachment, caso permaneça no cargo. Isso eliminaria a necessidade de Oliveira deixar a pasta no governo estadual. Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Transportes, Sebastião Oliveira prometeu divulgar nota ainda nesta quinta para tornar oficial a sua posição.

Assuntos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *