Comissão de Orçamento cria sistema eletrônico para receber sugestões às emendas de relator

A Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional adotará um sistema eletrônico para o recebimento das indicações de despesas que poderão ser contempladas pelo relator-geral do Orçamento em 2022, classificadas como RP9. A ideia é substituir a documentação em papel, ampliando a transparência.

Deputado Hugo Leal (RJ). Foto: Cláudio Araújo

Na quarta-feira (9), o relator-geral do Orçamento deste ano, deputado Hugo Leal (PSD-RJ), informou que o novo sistema já está disponível para deputados, estará acessível aos senadores na próxima semana e será franqueado até o final do mês a qualquer pessoa cadastrada no e-Gov, aplicativo do governo federal.

Leal explicou ainda que a iniciativa está restrita às emendas de relator-geral em 2022, que somam R$ 16,5 bilhões e destinam-se a 30 programações diferentes. As principais são o custeio dos serviços de atenção primária à saúde (R$ 4,68 bilhões) e os serviços de assistência hospitalar e ambulatorial (R$ 2,6 bilhões).

Resolução
O novo sistema decorre da Resolução do Congresso Nacional 2/21, que trata da transparência nas emendas de relator-geral do Orçamento. O Supremo Tribunal Federal (STF) liberou a execução das RP9 após compromisso de transparência e publicidade na distribuição de dinheiro por meio de indicações parlamentares.

Segundo Hugo Leal, caberá à CMO e aos respectivos relatores-gerais a divulgação de informações sobre as RP9 nas leis orçamentárias de 2020 e 2021. Do lado do Poder Executivo, venceu na quarta-feira (9) o prazo para divulgação de dados sobre a execução das emendas de relator-geral nos últimos dois anos.

Agência Câmara de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *