Acesso ao trabalho e à saúde são as reivindicações dos portadores

No Dia Internacional da Síndrome de Down, comemorado hoje (21), o lema é “não deixe ninguém para trás”. Esse tema foi escolhido pela Federação Brasileira das Associações da Síndrome de Down (FBASD), por dar nome também a um projeto da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Desenvolvimento Sustentável.

Não deixar ninguém para trás é o lema da agenda da ONU, um plano de ação até 2030 para que as pessoas e o planeta alcancem a prosperidade. A FBASD também defende que  os portadores da Síndrome de Down devem ter oportunidades de viver vidas plenas, incluindo aí condições igualitárias na sociedade.

Deputados do PSD lembraram a data:

Brasil

Estima-se que no Brasil a população de portadores de Síndrome de Down já ultrapasse 300 mil pessoas. Além de comemorar a vidas dessas pessoas, hoje é dia de lembrar os desafios para incluir essa população. Em entrevista, a presidente da Associação Distrito Federal Down, Cléo Bhon, disse que com muito trabalho já é possível inserir as crianças portadoras de Down no sistema educacional. Mas, atualmente o grande desafio é alocar os adultos no mercado de trabalho.

O que é a síndrome

A Síndrome de Down, também conhecida como trissomia 21, é uma anomalia cromossômica que afeta um grupo de pessoas e está associada em menor ou maior grau a uma deficiência intelectual e, em alguns casos, a determinadas doenças. Apesar de haver traços físicos comuns, cada pessoa é geneticamente única e por isso os portadores são muito diferentes uns dos outros.

Com informações da imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *