CPI sobre maus-tratos a animais avança nas investigações

Deputado Ricardo Izar (SP) - Foto: Cláudio Araújo

Deputado Ricardo Izar (SP) – Fotos: Cláudio Araújo

Novos dados sobre as ações do Instituto Royal, conhecido por utilizar animais para testes cosméticos e fármacos, foram revelados durante audiência pública realizada, nesta terça-feira (25), pela CPI que investiga maus-tratos a animais.

Os deputados Ricardo Izar (SP), presidente do colegiado, e Alexandre Serfiotis (RJ) ficaram surpresos com o fato de a entidade não possuir cadastro no Conselho Nacional de Controle e Experimentação Animal (Concea), em especial, quando recebeu cerca de R$ 5 milhões, do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), para realizar suas pesquisas.

A informação foi revelada pela presidente da Comissão de Ética da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de São Paulo (USP), Denise Fantoni, convidada a depor por ter aprovado pesquisa de aluna que utilizou dados do instituto para elaborar sua tese.

Para Izar, o fato é importante e precisa ser investigado. “Se o instituto não estava cadastrado, também não poderia utilizar animais para testes laboratoriais. Ao mesmo tempo, o ministério (MCT) só pode repassar recursos para entidades cadastradas no Concea. Vamos, certamente, enviar essa denúncia ao Ministério Público”, declarou.

Deputado Alexandre Serfiotis (RJ)

Deputado Alexandre Serfiotis (RJ)

Serfiotis avaliou que há fatos omissos a serem esclarecidos neste caso. “Quando você começa a desenrolar a história, percebe que há muita coisa embaixo do tapete. O instituto Royal funcionava como um canil desde 2005 e só foi credenciado no Concea em 2012. Logo em seguida, em 2013, houve essa denúncia. Tem muita coisa para apurar ainda.”

O biólogo e ativista da ONG Cruelty Free International, Frank Alarcón, afirmou que “a experimentação animal não garante eficácia aos medicamentos. Há diferenças entre as espécies em relação às vias moleculares e metabólicas”.

Ainda durante a reunião o colegiado aprovou o Requerimento 25/15, de Izar, que solicita a realização de audiência pública com a participação de Romeu Pereira de Souza, presidente do instituto, de Izabel Viana, pesquisadora da entidade, e de Marcelo Morales, ex-coordenador do Concea.

Os deputados Goulart (SP) e Herculano Passos (SP) também participaram da reunião.

Carola Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *