Bolsonaro apoia projeto de Vermelho para reabrir a Estrada do Colono

Durante coletiva com a imprensa, na tarde dessa quinta-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro declarou seu apoio à reabertura da Estrada do Colono. O projeto criando a estrada-parque, do deputado Vermelho, tramita na Câmara dos Deputados. “Trata-se de um projeto importante que terá o nosso apoio. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales, defende o progresso com preservação ambiental e, se depender dele, a licença estará garantida”, disse Bolsonaro.

“O deputado Vermelho e o governador Ratinho Junior terá o o nosso apoio em tudo o que for de interesse dessa região próspera e do Paraná. Nós temos que destravar, fazer as coisas andarem no Brasil”, acrescentou. O presidente afirmou também que a referida estrada pode unir duas regões importantes e beneficiar o desenvolvimento do turismo sustentável. “Durante muitos anos usaram a questão ambiental para inviabilizar e isolar pedaços do Brasil. Nós queremos integrar”, declarou.

Durante a viagem da comitiva presidencial de Brasília a Cascavel, o deputado Vermelho teve uma conversa reservada com Bolsonaro, a quem esclareceu detalhes do projeto. “Explicamos ao presidente a importância dessa estrada que integra uma vasta região. Entreguei a ele um caderno com estudos feitos pelas lideranças e falei da integração entre o ser humano e a natureza”, afirmou o parlamentar. “Falei também com o presidente sobre a questão ecológica, pois nossa intenção é preservar o meio ambiente. Mostrei fotos de outras estradas dentro do parque”.

A Estrada do Colono une as regiões Oeste e Sudoeste. Foz também será beneficiada com a reabertura da Estrada do Colono. Ele cita que a maior parte dos turistas provenientes do Rio Grande do Sul e Santa Catarina que desejam visitar as Cataratas do Iguaçú, a Itaipu Binacional ou mesmo fazer compras no Paraguai passa pela Argentina (entrando por Barracão e Santo Antônio do Sudoeste) para encurtar o caminho. “Chega a ser um contrassenso, porque os brasileiros são forçados a ingressar em território estrangeiro, submetendo-se a leis e regras da nação vizinha, simplesmente para ter um caminho mais curto para conhecer atrações turísticas brasileiras”, exemplificou.

Com a proposta do deputado, o caminho ficará bem mais curto. O comércio da Tríplice Fronteira terá mais movimento, e a geração de empregos será uma consequência natural. O Projeto 984/19, do deputado Vermelho, foi protocolado no mês de março. Já foi aprovado na Comissão de Transportes e está na Comissão de Meio Ambiente.

O caminho do colono é muito antigo. Os professores José Pedro Cornelli e André Paulo Castanha, da Unioeste/Beltrão, coordenaram um estudo no qual revelam que a Estrada do Colono existia muito tempo antes de ser criado o Parque Nacional do Iguaçúu. Eles citam que os índios já utilizavam essa trilha e que a Coluna Prestes passou por um caminho primitivo, em janeiro de 1925, que no futuro iria transformar-se na Estrada do Colono.

Essa estrada serviu também para que levas de colonizadores viessem do sul do País, diz o estudo. Pelo mapa é possível ver como a Estrada do Colono encurta a distância entre o Oeste e o Sudoeste  no lado argentino. Em entrevista a emissoras de rádio da região, Vermelho esclareceu que será uma estrada com tráfego leve, apenas veículos particulares e de turismo, com horários determinados, grades de proteção e túneis para passagem de animais. “Nós temos o maior respeito pela natureza e tenho defendido isso na Câmara. Queremos apenas resgatar um direito de ir e vir de quase dois milhões de habitantes que poderão usufruir dessa estrada, reatar os laços de amizade e parentesco, sem agredir o meio ambiente”, destacou o deputado.

Vermelho defende que o homem e a natureza devem interagir, respeitando e preservando o meio ambiente. “Agindo dessa forma, estaremos criando novas gerações de pessoas com maior amor pela natureza e não desprezando algo tão belo, a fauna e a flora dessa riquíssima região”.

Assessoria de comunicação do deputado 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *